Direito da família

O escritório JORGE MONTEIRO & ASSOCIADOS intervém regularmente no contencioso familiar do divórcio e o contencioso fora de divórcio (concubins, pessoas ligadas por um PACS, separações, direitos de visita dos avôs.), bem como no âmbito do acompanhamento das operações de partilhas de bens, como os litígios aferentes às sucessões.

O escritório JORGE MONTEIRO & ASSOCIADOS intervêm regularmente na frente do Juge aux Affaires Familailes de LYON, BOURG EN BRESSE, como também na Cour d'Appel de LYON (Tribunal da Relaçao de LYON).

O escritório JORGE MONTEIRO & ASSOCIADOS pode igualmente assistir os seus clientes na frente dos outros Tribunais da Familia (ex: LONS LE SAUNIER).

O Contencioso do divórcio:

A lei do 26 de Maio de 2004 alterou o divórcio instaurando doravante 4 tipos de procedimento de divórcio:

  • o divórcio por mútuo consentimento,
  • o divórcio por aceitação do princípio da ruptura do casamento, ou divórcio aceitado,
  • o divórcio por alteração definitiva da relação conjugal, que supõe que os cônjuges justificam estarem separados desde 2 anos à data da citação em justicia para o divórcio,
  • o divórcio litigioso.

A lei do 26 de Maio de 2004 desejou pacificar o processo de divórcio prevendo a possibilidade para os cônjuges, na presença dos seus advogados, de assinar um acto de aceitação do princípio do divórcio, evitando assim ter a fazer deliberar sobre as causas do divórcio.

Esta aceitação do princípio do divórcio ê irrevogável.

O Juiz do divórcio terá então só apenas a deliberar sobre as medidas acessórias, o seja sobre as consequências do divórcio.

Após um exame de cada situação, o escritorio JORGE MONTEIRO & ASSOCIADOS orientá-los-á para o procedimento mais adaptado, cada situação sendo específica e pessoal.

O procedimento de divórcio compreende duas fases principais:

  • audiência sobre tentativa de conciliação, destinada a encontrar um acordo sobre as medidas a prever durante a separação até entrega à definitiva do divórcio:
  • gozo do domicílio conjugal,
    - residência das crianças,
    - direito de guarda chamado direito de visita e alojamento de outro parente,
    - residência alternada das crianças,
    - fixação ou das pensões alimentares tanto para os filhos que para o conjugue, no caso de dever de secorro entre conjugues,
    - carga dos créditos,
    - gozo dos bens.
  • o procedimento de divórcio na sequência da citação em justiça para o divórcio.

Depois da sentença emitida sobre tentativa de conciliação, cada cônjuge dispõe da possibilidade de prosseguir o procedimento de divórcio emitindo ao seu cônjuge uma citação em justiça.

Esta faculdade é aberta apenas ao cônjuge requerente nos 3 primeiros meses depois da sentença emitida sobre tentativa de conciliação, seguidamente cada um dos cônjuges no prazo de 30 meses a partir da sentença emitida depois da tentativa de conciliação.

O procedimento de divórcio prossegue-se então para ver pronunciar o divórcio e deliberar sobre as consequências do divórcio:

  • residência das crianças, residência ao domicilio da mae o do pai, residência alternada, fixação da pensão alimentar para os filhos, partilhas de bens, prestação compensatória.

O escritório JORGE MONTEIRO & ASSOCIADOS esta ao vosso dispor para examinar da melhor forma possível os vossos direitos em função da vossa situação individual.

O divórcio dará seguidamente lugar ao inventario e as partilhas dos bens dos conjugues (partilhas dos bens), operações pelas quais o escritorio JORGE MONTEIRO & ASSOCIADOS poderá acompanhar- o em relação com o Notário designado o escolhido para proceder as partilhas.

O Contencioso fora de divórcio:

O contencioso fora de divórcio agrupa principalmente o contencioso ligado à separação das pessoas não casadas o de parceiros vinculados por um PACS, nomeadamente a fixação da residência das crianças, da pensão alimentar devida pelo outro parente, que da fixação do direito de visita e alojamento do outro parente, mais geralmente chamado direito de guarda.

O escritorio JORGE MONTEIRO & ASSOCIADOS traz igualmente o seu concurso no âmbito das dificuldades ligadas à execução das sentenças (não- pagamento das pensões alimentares, pedido de modificação ou de supressão das pensões alimentares, revisão da prestação compensatória, modificação do direito de visita do outro parente.).

Conselho: convêm munir-se para o primeiro encontro com o Advogado dos documentos seguintes:

  • livrete de família, copia intégral das certidoes de nascimento dos filhos emitidas hà menos de 3 mêses,
  • número de Segurança Social e allocataire assim beneficiário de prestações servidas pela Caixa de Subsídios Familiares,
  • último aviso de imposição,
  • comprovativos dos seus rendimentos (3 ultimos boletins de salário, boletim de salário do mês de Dezembro, recibos das indemnizações do desemprego, RSA, pensões.),
  • justificativos das suas cargas (aluguer, EDF, telefone..)
Deseja revalorizar uma pensão alimentar? Clique aqui.

Contacto

Veja também